sábado, 16 de dezembro de 2017

Sexo, droga e futebol


Sexo, droga e futebol

Não há maior pureza
No negócio do futebol, 
Do que este imenso rol 
De tanta certeza...


Estes Gigabytes 
Dum negócio próspero, 
E um jogo mortífero 
No calor das nights...

Agor'a fruta 
Já vem encomendada,
Jornada após jornada 
Pr'a isto dar mais luta!!

Até há café com leite,
Note-se a pertinácia!
E se se gosta da falácia 
Veja-se o deleite:

A 200 patacas
Vai-se o tempo todo,
Mas se vier mais po(l)vo 
Não se duplicam as vacas!?

A porta 18
É o nosso santuário, 
E está lá um armário 
Dum que está no Magoito!

Er'a tão pura 
A sua actividade,
Que só sai em liberdade 
Depois de pena dura...

É est'a pureza
Deste belo tetra, 
Que depois da caixa aberta 
O penta sai com certeza!

A caixa de pandora 
Do futebol, droga e sexo!
E não há nisto nexo 
Com tanto jogo lá fora?

Onde o "campeão",
Tido por cabeça-de-série, 
Conseguiu essa paupérie 
Dum zero na competição!?

Não há nisto nexo?
Não há nisto marosca?
S'até o Delegado desenrasca
No negócio do sexo?!

O menino querido
Do benfica em Vila real, 
Qu'assim é Portugal:
O benfiquismo travestido!!

Tanta evidência 
Em tanto Giga, 
E não há Federação ou Liga 
Que fale nesta "inocência"!!?

E s'até a APAF
Está muda e queda,
É porque não se nega 
A esta pornografe!!

Está tudo comprometido
C'os títulos do benfica!
E quem é qu'acredita 
Que há não jogo viciado??

Qu'isto é competição 
Onde existem "padres",
E prostitutas tão suaves 
Na sua profissão?!...

Pedem p'lo valor 
Do voucher do benfica,
Que é o tecto em que se acredita 
Que não há corruptor!!?

E nem um corrompido 
Em tanto Giga-Giga!
Em tanta franca amiga 
Um árbitro sem pedido!?

Não há a mais leve suspeita 
De crime de corrupção, 
E tráfico na competição
Já qu'a menina se deita?!

Isso nem pensar!
Não passam d'invenções!
e-mails que são usurpações 
Daqueles que não se conseguiu apagar...

É tudo uma cabala!
Não há tráfico d'influências!
Nem houve interferências 
De quem agora se cala...

O Cabral ou o Adão, 
Ou o assessor jurídico
Que lá servia o seu amigo 
 Pr'á nota ou nomeação!

Ou os sérios da Liga 
Que lá mandavam decisões, 
Antes das próprias votações, 
À gente amiga...

Tudo gente séria 
E honesta,
E a competição que se resta 
Num preço de galdéria...

Joker

Enviar um comentário
>