quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Tráfico de influências


Tráfico de influências

Como se de coisa menor
Lá o admitiu o advogado...
Qu'o homem estava todo trocado 
Por legislador!?

"Coisas do passado..." - 
Lá o repetia à exaustão!?
Mas esta investigação 
Visa outro resultado?!

Visa investigar o futuro
Ou práticas do presente?
Tanto "inocente"
No rescaldo do apuro!?

Vagas de Gigas 
De nove anos,
E tantos, tantos planos 
Pr'a se conquistarem as ligas!?

Que não há corrupção, 
E que dela há zero!?
E que leu com tamanho esmero 
Tod'a informação!?...

E se lá viu resquícios 
De tráfico d'influências, 
Isso são minudências 
Que não comportam vícios??!

Qual é a importância 
De se viciar um acto, 
Por acção, de facto, 
De sua ingerência?!

E lá descer a nota 
Com tal agravante,
Por acto relevante 
De presumida batota?

Qu'o Primeiro Ministro
Deu-lhe cabo da nota,
Por pessoa interposta 
Tida no registo!!

E não há conexão
Sobr'o facto e o seu desenlace?
A nota teve o maior rebaixe 
Na história da competição!!?

Tem que se provar?
Pois sim, com certeza!
A prova está na crueza 
De se s'o afirmar!!

Tudo relativo,
Assim com'a acção pidesca
De se andar à pesca 
Do internauta morto ou vivo!

E perant'a informação pública 
Qu'a todos dá acesso,
O benfica querer preso
Quem nisto se "notifica"!?

Isto não é uma agremiação,
É um regime totalitário!
É um acusador primário,
É a voz da inquisição!

É o querer ser-se Estado,
A pureza do regime!
É nisto quem define 
O jogo e o resultado!

É a prova já final,
Não do tráfico d'influências,
Mas de tod'as ingerências 
Neste Portugal!

O benfica é o regime 
Desd'os tempos da "outra senhora",
Mas nunca como agora 
Tão bem s'o define!

Em pleno regime democrático
Domin'a comunicação, 
O poder judicial, a governação
E o "crime informático"!!?

É uma teia d'interesses
Que amordaça o país,
E os políticos, sem cariz, 
São as suas benesses!

Como este Secretário,
Dito d'Estado!?
Um peão do regime encarnado, 
Seu fiduciário!?

Que lá mantém claques 
Ilegais,
Porqu'as leis gerais 
Não sofrem tais ataques!??

E se há assassinatos 
Aqui no velho burgo, 
O castigo ao verdugo 
Não releva mais factos?!

Não há associação 
Criminosa!?
Não há acção dolosa 
No seu raio d'acção?

Não vincul'o desporto
A morte entre adeptos?
O mundo é dos espertos
E o tolo é que cai morto...

É este o nosso Estado
E o nosso fraco regime!
E nele ving'o crime 
Do resultado!

A pena da moral,
Essa ninguém lh'a tira,
Mas a Justiça já suspira 
P'lo arquivamento geral!

Condenar o benfica
Seria condenar o Estado!!!
E no futebol jogado 
A coisa ainda não claudica!

Até lá foram tetra
Nos campeonatos do colinho,
E o povo, do Algarve ao Minho, 
Vibrou com tal coleta!

Por isso a função 
Do crime está justificada:
A nação quer-se unificada 
Ainda que na corrupção!

Ou por influência de tráfico
Como defesa legítima,
E s'o "benfica" assassina
É por controlo geográfico!

E s'ordenam padres
Pr'a rezarem as suas missas,
É porque se lhes dá as premissas 
D'abades!

E se lá fazem narcotráfico 
Na porta 18, 
O benfica não teve o intuito 
Narcótico!

Era só pr'a administrar 
Umas bombas manuais,
Qu'os seus casos de dopings "naturais"
Não cessam d'acabar!

E só por isso não adoptam
O ciclismo, 
S'até ao seu clientelismo 
O dopam!!?

Tráfico d'influências
Dá descida de divisão,
Mas o benfica ir pr'a prisão 
Baix'as audiências!

E retira votos 
De muitos milhões, 
E os políticos são os campeões 
Dos nossos campeonatos...

Por isso à justiça judicial 
Também s'a politiza, 
E a nação não precisa 
Dum benfica prisional!

Vamos lá arquivar 
De vez o processo, 
E fingir que tod'o nexo 
Ficou por provar...

E a montanha viral
De tão vasta informação,
Foi uma invenção 
Com'o é Portugal...

Joker

Enviar um comentário
>