domingo, 28 de janeiro de 2018

O meu reino por um VAR!



O meu reino por um VAR!

Dav'o meu reino
Todo por um VAR!
Pr'a poder ganhar 
Qualquer jogo em treino!

Sabem d'antemão 
Que posso mudar decisões, 
Atendendo às situações 
Da própria competição!!

Sabendo qu'o VAR
Só lá vê o que quer,
E ajuíza como "souber"
O que pode mudar!!

E por último bastião
Lá já tenh'o pau,
Qu'o Patrício não é mau
Mas o poste é um senhor guardião!!

E assim posso vencer 
Qualquer Taça da Liga, 
Porqu'ao VAR não há quem o contradiga 
Que possa perder!!?

E assim o VAR
Lá tev'o seu peso, 
E a decisão do jogo preso 
No seu julgar...

Outros assim fossem bafejados 
No acesso à "verdade desportiva",
Que já levavam de vencida 
Tantos jogos "empatados"...

O VAR é o grande decisor
Do futebol cá do burgo, 
E até o Sporting ganha "tudo"
No televisor!!

Até o Rui Costa 
Já lá foi ver as imagens!!
Ele que noutras paragens 
Foi um mouro na costa!!

E não viu repetições
Do penálti sobr'o Danilo,
Porque sabia qu'aquilo 
Lhe baixaria as pontuações!!

Iam dar-lhe cabo da nota 
E ele sabia disso, 
E no VAR foi omisso 
Como um déspota!!

Ele é que decide
O que se vê no VAR,
E pode ou não revisionar 
Como nos tempos da PIDE!

E alterar o resultado 
Ao sabor do VAR,
E nisto só ganhar 
Quem está do seu lado!!

Deixa lá Soares, 
Qu'o que interessa
Foi a tua conversa, 
Não o facto de marcares...

Aquele limpo golo
Anulado p'lo VAR,
E sem ninguém o visionar 
Sem dolo!

A não ser a RTP
Ou os "comentadeiros",
E os "cartilheiros"
Da nova Sport Tv!

Essa que, encarnada, 
Lá viu um metro em fora-de-jogo,
E a linha sem um estorvo 
Na coordenada!!?

O VAR explica tudo
O que vem do passado recente:
Esta mesma gente 
Decide no mesmo engodo!

E mesmo perante factos
Qu'as imagens não desmentem, 
Fingem que bem tentam, 
Mas por árbitros são "fracos"...

E chamam-lhe incompetência 
O desvirtuar uma só cor, 
Quand'o VAR é um adulador 
Da prepotência!?

O Porto, eterno prejudicado, 
Mesmo com tal VAR, 
E isto não provar 
Tal resultado!?

O eterno, sistemático, 
Inclinar do terreno, 
E o árbitro ter tal governo 
Interveniente ou apático!?

É à escolha do freguês 
Esta ausência de critério, 
E quer-se o sistema sério 
Sendo português?!

É com'o ministro
Agora alvo de buscas, 
Porque também nas finanças 
A cunha dá visto!!

E lá se junt'o processo 
Numa tríade de nexos, 
E o benfica emite textos 
Que contradizem o Expresso!?

Qu'a livre imprensa 
Ainda resiste por Lisboa,
E o benfica dá-se à loa 
De não a ter na restante avença!?

E asim a notícia 
Lá saiu no Expresso...
Que no resto 
Nem há caso de polícia!!

Pr'a Bola,
Pr'o Record, 
Ou pr'o I, o Sol, o acorde 
É vestir a camisola!

Esta dita imprensa
Do meu país "democrático",
Tem um cunho mais fanático 
Qu'o "Chama Imensa"!!?...

E este grande nexo 
Da tentativa de controlo,
Não tem pr'a eles dolo 
Nem texto!??

Uma mudez compulsiva, 
Um esgar de nervosismo,
E o jornalismo
Morto em cal viva??!

Corrupção!
Activa e passiva!!
E que só um jornal nos sirva 
À informação!?

Este país está tomado
P'los donos do BES!!
Os que gerem c'os pés 
O nosso ordenado!

E fazem das nossas poupanças 
Um fundo por si gerido, 
Pr'a qu'um seu menino querido 
Aligeire tais cobranças!!

E assim se possa saldar 
A dívida de tal suspeito, 
E isto ainda lá vai com jeito 
Qu'a sejamos nós a pagar!

E assim fic'o Felipe  
E o filho das finanças,
Ainda com mais heranças 
Pr'o resto da estirpe!!?

E o bom do lusitano 
Come e paga por acréscimo, 
Porqu'o benfica tem empréstimo 
Que não se vence em tal plano...

É assim o meu país
 À beira-mar lá plantado, 
E já se sab'o resultado
Que nele bem se prediz...

Joker
Enviar um comentário
>