terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Resposta de sua Ex.a o Primeiro Ministro


Resposta de sua Ex.a o Primeiro Ministro

Portugueses e portuguesas,
Fala-vos o vosso primeiro
Que, contra este ataque trapaceiro 
Vem declamar estas certezas:


A este ataque vil
Vamos responder, 
Pois nada temos a esconder...
Nem um mail!!

A nação benfiquista 
Vai tomar nas suas mãos o ataque,
Como se duma invasão do Iraque 
Ou duma cruzada bairrista!

Contr'a grandeza do benfica
Nada ou ninguém pode!
O país tudo lhe deve 
Na história ainda não escrita!!

Veja-se que até o panteão 
Lá tem o nosso símbolo, 
E ainda diziam qu'era bêbado 
Aquele herói da nação!!

Ao lado de grandes literatos 
Ali está a Negra Pantera!
Que se jogasse nesta era 
Não lhe bastavam contratos!

E não morria na pobreza
Por causa do Salazar,
Que nunca o deixou ir jogar 
Fora da nação portuguesa!

C'o benfica er'o Estado 
E o Estado o Salazar,
E o benfica era impar 
A jogar em qualquer lado!

No tempo da outra senhora 
Ninguém nos questionava as vitórias,
E foram nossas as maiores glórias 
Depois de Zamora!

O benfica é Portugal 
E Portugal é o benfica,
Sendo qu'a sua grandeza s'explica 
Por lhe ser maior e nunca igual!

O benfica é uma diáspora,
Uma religião, um povo inteiro, 
Qu'até no estrangeiro 
O conhecem por la piovra!

Não sei bem o que significa
Porqu'o Galambra é qu'escreve o discurso, 
Mas deve ser como diz o Pippo Russo:

D'um branco imaculado 
A conquista do tetra!
Qu'o penta é coisa aberta 
Nesta brancura de "viciado"!

Dos mails o que lá se sabe
Do vício da mala?
O César nunca a embala 
Antes qu'o jogo acabe!?

Há testemunhas 
E outras mensagens?
Mas não há embalagens 
Com notas nenhumas!!

Mostrem-me uma mensagem 
Ou uma mala,
Onde se prove a alcavala 
C'a arbitragem!?

O que tem o Mota
Ou o Adão,
E o Cabral, então,
Que mal lhe toca?

Menino querido?
É natural!
Pois qu'o Cabral 
Estava esquecido...

Por observador 
Só ía a Chaves, 
E o Paulo Gonçalves 
Fê-lo "melhor"!

E pôde vir 
À Catedral,
Observar o local 
A que se quis ir!

No jogo do tri-campeonato
Ali estav'o querido,
C'o punho erguido 
A rir-se do facto!

Qu'isto é uma rede?
De corrupção?
Mas s'o Adão 
Lá mal se mede!

É um anão
D'arbitragem,
E acham-no com tonelagem 
Pr'a decidir a eleição!?

Do Mota,
O homem do talho!?
A Adão foi falho
Na sua boa nota!!

E eu nunca trafiquei 
Uma má nota,
E ao Rui Costa 
Nunc'o lixei!?

Talvez o Frankc Vargas
Tenha mal-entendido,
A mensagem do menino querido  
A mencionar as falhas...

Todo um mal entendido
Que não cria suspeita,
Porque esta seita 
Tudo tem decidido?

E s'até o Leixões 
Também cai na rede de pesca,
É porqu'o futebol se presta 
Às boas relações!

E depois do Aves
E do amigo Tondela, 
Há que criar clientela 
E novos compadres!

Qu'o G15
Já cá está no bucho, 
E até me dei ao luxo 
De só jogar com 11!

Por isso, benquistas,
Portugueses,
Andamos nisto há meses!
Há que que começar c'as revistas!

E inspecionar as empresas
E os empregados, 
E se leram os mails são culpados
Na maior das certezas!

E se já os intimei 
C'a promessa d'acção,
Na próxima mando um batalhão 
Dos No Name!

E os nossos franco-atiradores
Do IPDJ,
Pr'a os intimar c'uma nota 
Por devassa dos servidores!!

E depois chamar o Correia,
O nosso grande advogado!
E ele patrocinar um mandado 
Pr'a se fechar a teia!

A rede informática,
Não a rede d'influências!
Porque aí não há suficiências 
Da sua prática!

E se lá há um ou outro,
É coisa pouca,
Qu'a lei nunca s'apouca 
Num indício curto...

Corrupção? É zero!
Tráfico, talvez...
Mas prove-se a prática soez 
Do "posso, mando e quero"!?

É hora de chamar a nação
E marchar contr'os canhões!
Vamos combater as difamações 
C'um tiro na acusação!

E se for preciso vai a PJ
A seguir, 
Qu'isto de s'investigar 
A correspondência privada,

É crime contr'a liberdade,
Contr'a condição humana,
E semana após semana 
Lá vem à ton'a verdade...

Uma verdade pífia 
Que não interessa ao povo, 
E já o dizia o Estado Novo:
A liberdade vicia!

Por isso vamos calar 
A voz da democracia, 
E a verdade fica vazia 
S'a pudermos adulterar!

Chame-se a Bola, o Delgado!
O Record, o Farinha!
Tod'a comunicação é minha 
Em qualquer lado!

Mande-se os da cartilha 
Invadir a TVI, A CMtv,
A SIC, a RTP,
E a restante camarilha!

E anunciar à nação
Qu'o benfica é isto tudo!
E não há crime, grosso modo, 
Se concretizado sem intenção!

Não há crime contr'o próprio
No juízo do legislador,
E qualquer acusador 
O arquiva sem propósito!

O benfica tudo pode
No país que se lhe subjaz, 
E se nisso é capaz,
Nisso se move!!!

E o Estado está refém
Desta velha ideologia:
Que pode haver barriga vazia, 
Mas o benfica, amém!

Joker

Enviar um comentário
>