segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Verdade … Mentira !!!


Verdade … Mentira !!!
As paixões clubísticas, partidárias ou pessoais, influenciam-nos sempre na hora de comentarmos algo. Deixamo-nos influenciar positiva ou negativamente sempre que instados a comentar algo, porque o que é nosso ou nos diz respeito é sempre mais credível que o do vizinho.
Este tipo de reação está na génese humana, faz parte do ADN de quase todos nós.
Mas este tipo de procedimento ou reação já não colhe, já não fica bem, já não se aceita, quando convidados a comentar algo na qualidade de independente ou de entidade neutra.
Vejamos estas situações transportadas para o futebol.

O processo Apito Dourado aparecerá sempre associado ao FCP … verdade. O FCP, o seu Presidente Jorge Nuno Pinto da Costa, deviam ter sido irradiados do futebol, condenados a prisão perpétua e se possível até julgados, condenados e eliminados … verdade. O que importava na altura era descredibilizar o FCP, o seu Presidente, os seus dirigentes mas acima de tudo as suas VITÓRIAS !!! Basta ler ou ir reler as opiniões de muitos comentadeiros de então em diversos jornais, revistas, rádios, televisões, órgãos de decisão e Poder. Assistiu-se a tudo nos diversos órgãos de comunicação social, desde devassa da vida de cada um ( livros, escutas, transições de textos, etc, etc, etc ), a julgamentos sumários e altamente tendenciosos, manobrados por esses tais comentadeiros ditos independentes ou que opinam protegidos pela capa da isenção. E lembramos bem o nome desles : os Manhas, os Delgados, os Vasconcelos, os Guerras, os Borges, a Bola, o Record, a TVI, a SIC, o Correio da Manhã e mais uns tantos que por aí andam a carpir mágoas. Valia tudo porque o processo AD era de total interesse público, as pessoas tinham de saber o que efetivamente se tinha passado. Lincharam-se pessoas, entidades, clubes … valia tudo em nome de algo que nunca percebemos muito bem o quê … mesmo que das 15 mil escutas, apenas 8 mil e tal tivessem interesse, talvez porque as restantes dissessem respeito a clubes a Sul de Leiria, e daí o “desinteresse” em as partilhar ou tornar públicas ou pelo menos que constassem dos processos. 
Pronto, e nós fomos mesmo quase convencidos, sim quase porque achámos sempre que havia ali coisa que não batia certo ou que cheirava a combinado de forma sinistra.
Azar dos azares, passados uns anos percebemos ou concluímos mesmo que as dúvidas de então se tornaram agora certezas da forma sinistra e tendenciosa como foi conduzido o Processo AD … falo deste Polvo Vermelho, de tentáculos conhecidos mas que se multiplicam de maneira desmesurada a cada semana que passa. E não tendo o cidadão comum qualquer dúvida sobre a veracidade de tudo aquilo trazido a público, assistimos de forma curiosa para não dizer recriminatória, ao desespero dos órgãos de comunicação social atrás citados, das figuras atrás referidas e de outras que entretanto apareceram por aí ( os célebres Cartilheiros, mas não só ) em afirmarem que ao contrário de “ontem”, hoje se devia preservar a não devassa na praça pública, que se deveria deixar a Justiça trabalhar e funcionar, que isto lesa altamente os interesses do futebol português, que quem promove isto quer acabar com o negócio … e mais uma dúzia de palermices pegadas e sem nexo.
Ou seja, para esse senhores não interessa o conteúdo do que está a vir a público, não interessa a organização montada em prol de um clube, cometendo tráfico de influências, corrupção ativa e passiva ( pelo menos atentando em noticias vindas a público em diversos órgãos de comunicação ), controlando a vida pessoal de árbitros, delegados, nomeadores, presidente da FPF, etc, etc, etc, e tudo o mais que entretanto se vier a saber … para estes “juízes” interessava era calar o mensageiro, para que os atropelos à verdade ficassem na gaveta e nunca conseguíssemos perceber a forma altamente lesiva da verdade como esse clube conseguiu as suas vitórias.
Entretanto começamos a olhar para a Justiça e neste caso com alguma desconfiança, face a certos comentários que se vão ouvindo, face à morosidade da mesma em decidir algo, mas acima de tudo e muito mais preocupante face às noticias que nos vão dizendo das pressões, das influências, dos interesses em que tudo isto vá pela sanita abaixo.
44 anos depois de Abril, Portugal continua a ser um País de corruptos, de oportunistas, de chicos-espertos, de empreiteiros aldrabões e dados a trapaças, de empreiteiros que fazem gala em dizer que devem milhões à banca e o zé povinho que pague, de clubes que montam esquemas altamente lesivos da verdade, de gentalha que ocupa espaços televisivos, radiofónicos e de escrita, em que sob a capa de independentes ou isentos debitam apenas e só aquilo que um Cartilheiro-Mor lhes indica.
É isto Portugal hoje em dia e cada vez mais !!! 
Como diz o Povo e com razão … uma mentira dita muitas vezes passa a Verdade, e uma verdade desmentida muitas vezes passa a Mentira !!!
Mas o que nunca conseguirão desmentir é que um Polvo tem de factos muitos tentáculos.

Abraço,

FCP1893
Enviar um comentário
>